5 de junho de 2011




Banda: Falconer
Álbum: Armod
Ano: 2011
País: Suécia
Estilo: Power Metal with Folk influences
Metallum

link in comment
link no comentário

Saiu! Falconer ganhou a terceira posição de domingo simplesmente porque os próximos são minha essência velha e nova dentro do metal. Essa banda eu conheço muito bem, Ana conhece melhor que eu, mas somos unânimes em dizer que somente eles tocaram dessa forma. Em 2008 coloquei 'Among Beggars and Thieves' como um dos melhores daquele ano, não me enganei e vou colocar 'Armod' como um dos melhores de 2011.

Muita gente espera ouvir uma banda sem novidade que vem da Suécia (que em 2011 está sendo o mais foda de todos, desculpem os amigos da Finlândia, mas a Suécia tá devastando o universo), e o Falconer vai calar, suturar, costurar e rasgar a boca de muita gente que é sabidão por ae. Começa logo pelo estilo, eles tem uma linha musical bem marcante da região que moram chamada Mjölby, música folclórica cantada em noite estrelados e clareados por enormes fogueiras, se estão pensando no Týr, esqueçam, Falconer toca em outra dissonância. É algo teatro medieval em grandes feiras e passagens. Europeu do começo ao fim é o tema dessa banda lindíssima.

Agora vem o Bardo chamado Mathias Blad, ainda não vi homem fazer o que ele faz na voz. Não é a altura, potência ou expressão que diferência ele, mas o contrário. Ele não força a voz, simplesmente um bardo que chega e sai inventando rimas para conseguir alguns trocados, passar a noite num local menos frio e com barriga cheia. Quando ele saiu por problemas pessoais da banda, o Falconer entrou numa fase negra que ninguém queira nem ouvir, mas retornou e está firme forte. Hoje para nós (Ana e eu) é cantor de tom mais bonito que existe. O que ele cantar ficará com cara de Europa Medieval.

O instrumental mudou um pouco do que se é ouvido do anterior, esse está mais rápido, existe até uma faixa que é o mais puro black metal com voz singular do Mathias, as letras giram em torno das músicas populares da Suécia com aqueles guerreiros melancólicos e solitárias que lutam até restar apenas um para contar história. Stefan Weinerhall que é o grande idealizador e guitarrista da banda faz notas mais limpas, densas e rápidas. O resto da banda continua magicamente sincronizada com as ideias de Stefan. Musicalmente é um álbum muito bem produzido e complexo. Ah, quase esqueci! O álbum é cantado como sempre na língua sueca, deixa tudo mais charmoso, caramba!

Para mim, sempre que escuto um álbum do Falconer tenho a sensação que algo foi tocado com empenho e energia. É um Power Folk que não se compara a ninguém e que ninguém sabe fazer igual! Um dos álbuns mais bonitos que a banda lançou até agora e não irei parar de ouvi-lo por um longo período. Um Super Lançamento que o DOS tem a honra de dedicar aos seus seguidores!







Antes de comentar marque a caixa 'Publicar no Facebook' por favor!

5 comentários:

Pikachu Sama disse...

DOWNLOAD

Tito disse...

Muito bom, melodia cativante.

Ana Karoline disse...

Bote cativante nisso! Falconer é único no que sabe fazer. Recomendadíssimo!

Ricardo - Barbacena disse...

O Falconer é uma das melhores bandas de Power Folk...

JOAO ROBERTO disse...

Mathias Blad canta demais, é muito bom ouvi-lo cantar novamente no Falconer.